Eventos em destaques da semana.Oportunidade de Divulgar o sua Empresa.Paraná tudo que destaque.Portal-Classificados-de-todo-o-Pais Anuncio.Tecnologia Em Destaque.Utilidade Pública.
Tendência

Escolas técnicas e agrícolas começam o ano com novos cursos.

Aulas iniciam também com novos projetos.

São 15 Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs), 18 colégios agrícolas e um colégio florestal especializados no ensino profissional, de acordo com a demanda do setor produtivo de cada região do Estado.

Os cerca de 21 mil alunos matriculados nos Centros Estaduais de Educação Profissional, colégios agrícolas e florestal vão encontrar várias novidades quando retomarem a rotina escolar na próxima quinta-feira (14), início do ano letivo na rede estadual de ensino.

ão novos cursos e projetos pedagógicos inovadores para enriquecer o currículo dos estudantes.

MAIS OPÇÕES – Os moradores do município de Santa Mariana (no Norte do Estado) ganharam mais uma oportunidade de obter formação técnica sem nenhum custo com o início do curso técnico em Agronegócio, no Centro Estadual de Educação Profissional Agrícola (Ceepa) Fernando Costa.

O curso tem duração de um ano e meio e já começa o ano letivo com 38 alunos matriculados.

“Por estarmos em uma região onde o agronegócio é muito forte, os alunos que buscam nossa instituição, ao concluir o Ensino Médio, já ingressam no mundo do trabalho com afinidade com a profissão”, disse o diretor do colégio, Paulo Sergio Aguiar.

O Ceepa Fernando Costa oferece também o curso técnico em Agropecuária para quem concluiu ou está cursando o Ensino Médio.

“Outro ponto é que o leque de possibilidades que esse curso proporciona é muito grande, oportunizando aos alunos mais capacitação e oportunidades de emprego em qualquer parte do processo produtivo e comercial, seja na agricultura ou pecuária”, explicou Aguiar.

ACOMPANHAMENTO DOMICILIAR – O Centro Estadual de Educação Profissional Newton Freire Maia, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, vai implementar duas medidas para fortalecer a interação entre os estudantes e a comunidade.

A partir desse ano, o colégio intensifica o acompanhamento técnico e pedagógico domiciliar dos alunos.

O objetivo é aproximar a escola ainda mais da comunidade, acompanhando a prática dos conteúdos dos cursos.

“Essa atividade tem um impacto enorme porque os alunos e os familiares passam a ver a escola com outros olhos, como uma parceira no desenvolvimento dos estudantes”, explica a diretora pedagógica do colégio, Vera Tives.

A outra medida é a reorganização do calendário pedagógico.

As apresentações dos Trabalhos de Conclusão de Cursos (TCC) serão feitas entre 4 e 8 de novembro.

Antes, eram os coordenadores dos cursos técnicos em Agropecuária, Meio Ambiente e Energias Renováveis que definiam as datas das apresentações.

“Essa alteração contribui para a integração dos alunos e também é uma forma de valorizar os trabalhos porque, além de apresentar para a banca, eles terão a oportunidade de compartilhar esses conhecimentos com toda a escola”, destacou Vera.

Além disso, quando retornarem às aulas na próxima quinta-feira (14), os 554 alunos também vão encontrar novidades na infraestrutura da escola.

Foram feitas pequenas reformas e melhorias na infraestrutura do prédio, como a troca de telhas e a instalação de ar-condicionado nos laboratórios de informática, auditório e em duas salas administrativas.

REDE ESTADUAL– Além das escolas regulares que ofertam cursos técnicos, a rede estadual conta com 15 Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs), 18 colégios agrícolas e um colégio florestal especializados no ensino profissional, de acordo com a demanda do setor produtivo de cada região. Todos os cursos são gratuitos.

São aproximadamente 21 mil estudantes matriculados em 32 cursos técnicos nas modalidades integrada (para quem ainda cursa o Ensino Médio) e subsequente (para quem já concluiu o Ensino Médio).

Os colégios agrícolas e o florestal funcionam em regime de internato e oferecem dormitórios, salas de estudo, refeitórios, auditórios, laboratórios específicos, bibliotecas e ginásios esportivos, acervo bibliográfico próprio para os cursos ofertados, além dos equipamentos para aulas práticas.

FONTE:Notícias AEN.

Jornal Paraná Notícias


Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar